Trilha Estelar

Um por todos e todos Somos um

Crianças das Estrelas

 

Assim são chamadas, porque ao nascer, trouxeram características que as diferenciam das outras crianças, tais como: intuição, espontaneidade, resistência à moralidade estrita e restritiva, uma grande imaginação e poder de “criar”. Também foram observados dons paranormais em todos os sentidos, embora essas crianças não tenham conhecimento disso, dessas habilidades diversas. Uma nova geração de crianças que vieram implantar a Nova Era na Humanidade, mas sentem dificuldade em se ajustarem nesta realidade densa.

Elas foram “classificadas” através dos “tipos” que seguem:

ÍNDIGO – foram chamadas assim, crianças de 7 a 30 anos de idade, por terem muito azul em suas auras que dá cor à vibração do chacka do terceiro olho ou chakra frontal. São seres especiais nascidos após 1987, com DNA alterado, e vieram já treinadas sobre o que fazer na Terra. Até a Parapsicologia acredita serem especiais. Mostram novos Padrões de Comportamento devido as grandes habilidades que têm. Compartilham caracter com crianças Cristal.

CRISTAL – são mais dominantes no chakra Coronário, suas auras podem ser branca ou transparente, e também dourada conforme o Raio. De olhos grandes, penetrantes e sábios, porque enxergam a alma das pessoas. São almas antigas que tem ligação com Registros Históricos da Terra. Comunicam-se com todos os Reinos da Natureza e se beneficiam muito com as mudanças provocadas pelos índigos, que lhes abriram caminhos. Estão na idade de 20 anos agora.

ARCO-ÍRIS – são a expressão da nossa Divindade, nunca estiveram no Planeta antes, e procuram pais cristal. São pequenos Avatares, porque já vieram no ápice da Evolução Espiritual. Aqui chegaram por volta de 2002 em diante, tem egrégora dos Sete Raios bem definida, com qualidades mutantes.

DOURADAS – embora tenham iniciado a missão no plano físico á partir de 1998 , mostraram iniciativas de encarnar entre 2003 à 2006, pois a energia delas é elevada e delicada, pois vêm de Planos 14D e 18D.Grande parte delas morrem de 3 a 7 meses após encarnar-se, tem total memória de sua realidade estelar e sua hierarquia de Mestres.Nascem em lugares afastados para que até os 7 anos consigam ajustar a sua energia para suportar as energias telúricas da Humanidade.

Existem outras variações como: Cristal/Dourada, Cristal/Maxim e Esmeraldas. Cada uma das categorias abre caminho para a seguinte.

ATUAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES

As chamadas Crianças das Estrelas quase sempre representam desafios para os pais, para os educadores, e também para os parentes e amigos. Isso porque a forma de tratá-las é bem diferente do que em tempos passados, onde um “não” era não, porque hoje um “não” tem como resposta um por quê…e também um “pra quê mãe?”

“Criança não obedece… não faz a lição… faz que não ouve e se responde é…..na verdade é muito triste ouvirmos essas palavras dirigidas por adultos às Crianças das Estrelas…

Isso porque essas crianças tem características incomuns, quanto à outras crianças. Elas não tem medo de nada…e de ninguém… porque vêm com habilidades especiais que trazem, como: maior sensibilidade, personalidade peculiar, novos padrões de comportamento, e por serem intuitivas mentais tem rapidez nos pensamentos, e não toleram mentiras dos adultos.

Os adultos podem se sentir aborrecidos, pois essas crianças tem dificuldades de se ajustarem nesta realidade densa, por terem altos padrões energéticos, como a clarividência e mediunidade, comunicação por telepatia, dons de cura, muita sensibilidade, e muitos outros, que lhes permite fazer parte das Equipes Espirituais da Terra.

Começam a se deixar conhecer desde cedo, ao entrarem na “escolinha” – no maternal e depois nos anos seguintes, e tem também tendência de se “esconderem” ou se isolarem, por não se sentirem reconhecidos.

Muitas dessas crianças são resistentes ao tratamento autoritário, se tornam agitadas demais (hiperativas), tem dificuldade em manter a atenção, tornando-se muitas vezes líderes “negativos”, principalmente na Escola. Aí são rotuladas como “problemáticas”, correndo serio risco de serem medicadas, e conseqüentemente “sedadas”.

O caminho que resta é abertura de consciência de pais e professores, através de pesquisa, audição de palestras, leituras, no tocante ao bom relacionamento no convívio familiar e escolar dessas crianças, ressaltando que elas apenas precisam de muito Amor… muita atenção e participação desde as brincadeiras até as respostas que elas querem ou não ouvir.Logicamente que se oferecem limites… mas antes de tudo compreensão do mundo real no qual o mental delas “viaja” o tempo todo…

São crianças que abraçam e acariciam espontaneamente, porque tem esses dons espirituais inatos, e necessitam diálogos, para se sentirem confiantes e seguras frente aos adultos que as cercam.

Elas tem a capacidade de fazer despertar um grande AMOR naqueles que estão próximos à elas, pois é de AMOR que elas precisam, até que se criem Nova Metodologia Educacional que visa desenvolver os dons, a criatividade e a participação dessas crianças, que se entenda o convívio com elas, nesse Novo Tempo da Nova Terra!